A diabetes gestacional é um risco para a mamãe e o bebê

Quem já não se surpreendeu ao ver fotos de super-bebês circulando na internet? Pois é, eles chamam atenção, mas também servem de alerta. Afinal, muitos casos de nascidos acima do peso têm relação com a chamada Diabetes Gestacional. Esse é um problema que preocupa porque também pode provocar partos prematuros, o que não é favorável para a saúde do recém-nascido. Por isso, é importante tomar os cuidados necessários para evitar a diabetes na gestação.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Diabetes, a doença afeta até 7% das gestantes. Os fatores de risco são ganho excessivo de peso, idade superior a 25 anos e casos de diabetes na família. O diagnóstico precoce e tratamento são fundamentais para garantir o desenvolvimento saudável da gravidez.O diagnóstico é feito com dosagem de glicose no sangue e da curva glicêmica. Entre os exames de rotina do pré-natal, são solicitados alguns especificamente para rastrear a doença. Logo no início da gravidez é feito o primeiro teste, que vai medir a quantidade de glicose no sangue em jejum. Se o resultado do exame for normal (menos de 85 mg/dL) e a mulher não tiver fatores de risco, o médico só deverá solicitar uma nova avaliação quando a gestante estiver entre o quinto e sétimo mês (da 24ª à 32ª semana). Se nesse primeiro teste o índice for de 85 a 125 mg/dL, a paciente terá que fazer o teste de tolerância à glicose, o qual é realizado após ingestão de uma sobrecarga de 75 a 100mg de glicose.

Você sabe o que provoca a diabetes na gestação?

A gravidez gera uma série de mudanças hormonais e a placenta, para garantir mais glicose para o feto, enfraquece a insulina da mãe. O problema é que o pâncreas reconhece essa alteração e produz mais insulina para diminuir o açúcar no sangue. Esse quadro de insulina e glicose altas, muitas vezes, sai do controle e o corpo não consegue metabolizar o açúcar, gerando o diabetes.

E o tratamento?
– mudanças de hábitos alimentares e controle de ganho de peso com orientação médica
– atividade física, quando autorizada pelo médico, para regular os níveis de açúcar
– uso de insulina caso não haja melhora com a alimentação e exercícios
Vale alertar que os bebês quando nascem muito acima do peso podem causar complicações no parto e até apresentar predisposição á obesidade na vida adulta. No caso da gestante, ela pode apresentar diabetes em outras gestações e até desenvolver diabetes tipo 2, que exige cuidado para o resto da vida.

A nossa dica é cuidar da saúde para você aproveitar este momento tão desejado sem preocupações.

Saiba mais sobre os tratamentos para fertilidade. 

Quer conhecer a Sociedade de Reprodução Assistida? Clique aqui. 

 

Recommended Posts