Uma dúvida comum: quando fazer o diagnóstico genético pré-implantacional?

O diagnóstico genético pré-implantacional  é uma tecnologia de ponta que vai avaliar a qualidade dos embriões a serem implantados no útero. O teste é feito depois da coleta e fertilização do óvulo pelo espermatozoide fora do corpo da mulher (Fertilização in vitro). O embriologista retira algumas células do embrião para a análise genética .

Casais com histórico familiar de doenças genéticas ou mal-formações devem fazer o exame. Porém, outros fatores também indicam a necessidade do teste, por exemplo: mulheres com idade superior a 37 anos, homens com sêmen de baixa qualidade, casais que já tenham filho com alguma anomalia cromossômica e falhas recorrentes de fertilização in vitro ou abortos.

Quais os benefícios do exame? Já se sabe que, por seleção natural, alguns embriões com cromossomos anormais não conseguem implantar no útero. Portanto, o sucesso da fertilização é maior se o embrião escolhido é normal. Além disso, essa prevenção reduz o risco de abortos e também de nascimento de bebes com síndromes genéticas. E quem não sonha com filhos cheios de saúde? O teste pode aumentar a chance de nascimento de uma criança saudável por auxiliar o médico a identificar os melhores embriões para a transferência.

Saiba mais sobre os tratamentos de reprodução assistida.

Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida

 

Recommended Posts