Histeroscopia – Quando falamos em reprodução assistida, quanto mais soubermos as condições da saúde da mulher, melhor. Cuidados que podem contribuir para o sucesso do tratamento. Um dos exames de diagnóstico que podem ser recomendados pelo especialista é a Histeroscopia, também chamada de Videohisteroscopia.

O procedimento pode ser indicado quando há sintomas como infertilidade, abortos e sangramento uterino anormal. Ele detecta doenças intrauterinas, entre elas: pólipos endometriais e endocervicais, mioma submucoso, septo uterino, sinéquias, adenomiose e malformações.

A histeroscopia pode ser feita antes da fertilização in vitro, apesar de não ser preconizada como obrigatória pelas sociedades de reprodução humana, como a ASRM (americana) e ESHRE (europeia). Assim, acaba sendo mais indicada quando há suspeita de alterações uterinas, quando uma ecografia transvaginal sugerir alguma alteração. Ela é obrigatória em casos de falhas de implantação, suspeita de endometrite e também abortos recorrentes.

O exame ambulatorial é feito acessando o útero via vaginal. Com uma câmera é possível ver se há alguma alteração. Se for verificado algum problema que necessite de histeroscopia cirúrgica, a intervenção deve ser feita no hospital.

Já conhece o nosso canal no YouTube? Se inscreva para não perder nenhum vídeo.

 

Posts Recentes