Perda gestacional  – Geralmente, apenas  as pessoas que já  tiveram uma perda gestacional  conhecem o sofrimento causado por isto. Quando estas perdas ocorrem repetidas vezes então o sentimento é devastador. Entender o porquê de estar acontecendo estas perdas é fundamental para poder intervir neste desfecho.

È importante saber  que as taxas de abortos espontâneos precoces situam-se entre 15% a 20% das gestações e variam muito de acordo com a idade do casal, especialmente da mulher  ( ver abaixo as taxas de aborto  por faixa etária da mulher).  Já  a perda gestacional recorrente, que é definida por tres  ou mais abortos espontaneos consecutivos ( ou não para alguns autores)  oscila entre 1 e 5%. O termo também se aplica quando se observam dois abortos em pacientes com idade superior a 35 anos.  Aqui vamos abordar algumas dúvidas frequentes sobre o assunto.

Confira!

Quais as taxas de abortamento espontâneo por idade materna?

Menos de 35 anos: 14%

De 35 a 37 anos: 19%

De 38 a 40 anos: 25%

De 40 a 45 anos: 40%

Acima de 45 anos: até 60%

  • ASRM (American Society for Reproductive Medicine):

Depois de quantos  abortamentos é indicado realizar um estudo mais aprofundado?

Não existe consenso mas atualmente, a  decisão de investigar geralmente é iniciada a partir do segundo  caso , considerando especialmente a idade da paciente, os antecedentes pessoais e familiares,  e a ansiedade do casal.

Quais as causas dos abortos recorrentes?

As  causas mais relacionadas com o abortos repetidos são as genéticas e a  síndrome antifosfolipidios  (SAF).  Alterações anatômicas da cavidade uterina podem também ser causa de perda gestacional, além de trombolifias hereditárias, especialmente quando associadas e problemas imunológicos. Muitas vezes, apesar de uma investigação detalhada, não se consegue identificar a causa dos abortamentos.

Qual são as chances de engravidar depois  do abortamento?

A boa notícia é que  a grande maioria das mulheres (cerca de 80%) com um abortamento espontâneo terão sucesso em uma próxima tentativa..

Apenas 1% terão  um risco  de apresentar três abortos .

Até 70-75% das mulheres que apresentam abortos recorrentes sem causa identificada conseguem engravidar e ter o seu bebe saudável

Quanto tempo devo aguardar para tentar uma nova gestação após sofrer um abortamento?

È importante uma avaliação médica após o abortamento para ver se existe alguma situação ou investigação que  contraindique uma nova gestação a curto prazo. Caso contrario, aguardar  um mês já é suficiente para o organismo estar em condições para uma nova tentativa, desde que seja este o  desejo do casal.

Quais fatores que podem  influenciar  a repetição do abortamento?

Existem dois fatores determinantes: o número de abortos prévios e a idade materna

Quanto maior o número de abortos prévios, maior a chance de uma nova ocorrência . O risco de abortar aumenta de forma progressiva com o número de gestações prévias perdidas.

Como já referido  anteriormente, a idade materna constitui é fator preditivo muito  importante para sofrer um novo abortamento. Portanto, o casal não deve ficar esperando muito para iniciar uma investigação.

Existe maior probabilidade de perda gestacional recorrente em pacientes com doenças autoimunes?

Sim . Existe relação entre a imunidade da mulher e ocorrência de perdas gestacionais recorrentes. Algumas doenças autoimunes podem também causar dificuldade para  engravidar ou infertilidade.

Você ainda tem alguma dúvida sobre o abortamento? Escreva para a gente! Estamos à disposição para mais esclarecimentos!

Recommended Posts