Como especialista em reprodução assistida, não poderia deixar de falar sobre a Campanha da Sociedade Brasileira sobre o tema. A inseminação caseira não deve ser um método adotado pelos casais com problemas de infertilidade, pois pode trazer sérios riscos à saúde da mãe e do bebê. Tem se falado sobre essa alternativa na internet por conta dos custos com os procedimentos em clínicas de fertilização. Vale ressaltar que em casa não são feitos testes sorológicos do sêmen que pode transmitir doenças como AIDS, hepatites B e C, sífilis e clamídia . A amostra pode também ser contaminada na manipulação e os materiais utilizados não são devidamente esterilizados. Há ainda o risco da introdução da seringa ou cateter, o qual poderia perfurar o útero, e até mesmo disputa pela custódia da criança, já que essa prática não tem respaldo jurídico.

Posts Recentes